A emoção é como um pássaro,
quando se prende já não canta

sábado, 16 de abril de 2011

Tela de Ariana Richards
É HOJE:todo o ontem foi caindo
entre dedos de luz e olhos de sonho,
amanhã chegará como passos verdes:
ninguém detem o rio da aurora.

Ninguém detém o rio de tuas mãos,
os olhos de teu sonho,bem-amada,
és tremor do tempo que transcorre
entre luz vertical e sol sombrio,

e o céu fechar sobre ti suas asas
levando-te e trazendo-te a meus braços
com pontual,misteriosa cortesia:

por isso canto ao dia e à lua,
ao mar,ao tempo,a todos os planetas,
a tua voz diurna e a tua pele noturna.


=PABLO NERUDA

Um comentário:

M@ria disse...

Quero voltar a origem de certos tempos,
Atravessando montanhas de atmosferas
E sentir o perfume do seu coração!

José Bonifácio

Paz na semana que se inicia.
Beijo-te a alma e o coração! M@ria