A emoção é como um pássaro,
quando se prende já não canta

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Maria Carente

Tela de Don Hatfield

Só mesmo aquela Maria carente
minha vizinha encalhada,
para dar corda ao almofadinha
aventureiro do olhar ardente,
pousado debaixo de sua janela
desafinando sua serenata.

Todo mundo sabe e se ressente
dos engodos do janotinha
de olho nos bens das donzelas.
Só mesmo aquela Maria carente
solteirona e assaz necessitada
acredita em sua balelas.

Receio que caia nas gracinhas
do seresteiro de tais esparrelas...
Mas, até mesmo a Maria carente
da cama vazia e cheiro de panelas
deseja viver seu conto de fadas
e ser feliz como toda gente.
*
Helena Frontini

Um comentário:

M@ria disse...

Ouça com o coração quando quase lhe parecer silêncio: é o meu amor falando baixinho só pra não acordar o seu medo de amar...

Ana Jácomo

Beojos poéticos....M@ria