A emoção é como um pássaro,
quando se prende já não canta

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

São duas ou três coisas

Tela de Konstantin Razumov
São duas ou três coisas que eu sei dela,
e nada mais além de seu perfume.
Sei que nas noites ermas ela assume
esse ar de quem flutua na janela,
como o duende fugaz que em si resume
um tempo que a ampulheta não revela:
o tempo além do tempo que só nela
navega mais que o peixe no cardume.
Sei que ela traz nos olhos esse lume
de quem sofreu e a dor tornou mais bela,
pois o naufrágio lhe infundiu aquela
vertigem que do alfanje é o próprio gume.
Sei que ela vive no halo de uma vela,
e queima, sem consolo, em minha cela.

Ivan Junqueira

2 comentários:

Helena Castelli disse...

Luna, minha querida... O teu espaço está belíssimo. Isso prova a capacidade de gerenciamento que tens, quando na seleção que fazes dos excelentes artistas que nele transitam.

Deixo a ternura de um abraço.

Líricas Imagens disse...

Certas coisas se juntam de maneira tão inexplicável
Que eu chamo isso de Deus

Caio Fernando Abreu

Bom Fds e beijos meus.....M@ria