A emoção é como um pássaro,
quando se prende já não canta

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Aconchego


Abra os teus braços como asas
Que eu quero me aconchegar.
Teu ninho porejado de pragas
Rescende a palha seca e rançoza
Desfaz-se ao vento daninho
Levando em rodopio teu lar.

Fica comigo e te darei carinho
Frescor e um suave manto de rosas
Para juntos, outro ninho formar 

Helena Frontini

4 comentários:

Líricos Poemas disse...

Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Clarice Lispector

Desejo um Bom dia e o meu carinho à voce!
Agradeço sua visita........M@ria

Ulisses José Da Silva disse...

Espero que gosto da forma que postei são dois poemas que fiz para carinhar, venha comentar, tenha um linda noite, beijos!

http://ulissesreis.blogspot.com/2011/02/dinamo.html


http://ulissesreis.blogspot.com/2011/02/canto.html

Maria José Speglich disse...

Olá!

Coloquei mais uma poesia sua em meu blog

Beijo!

Líricas Imagens disse...

"Sem atenção, à deriva..
Pelo mundo, sem casa,
Sem hora, sem instante...
Alguém mora por mim
E eu existo longe... "

Dú♥Karmona®

Feliz semana e beijos meus! M@ria