A emoção é como um pássaro,
quando se prende já não canta

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Fragmento (Elogio da Loucura)

"Louvemos aquele homem de Argos 
que foi bastante louco para passar dias inteiros sozinho no teatro,
 a rir, a aplaudir e se divertir,
 acreditando assistir à representação das mais belas peças,
 quando não se representava absolutamente nada. 
A sua vida conduzia-se às mil maravilhas!
 Porém, os cuidados da familia e os remédios o curaram;
 recobrou o juízo e disso lamentou-se nestes termos:
 Ó meus amigos! De modo algum me salvastes,arrancando-me a alegria, 
forçando-me a renunciar à encantadora ilusão de meu espírito".


Erasmo de Rotterdam

Um comentário:

M@ria disse...

A vontade humana
Limita-se ao possível.
Mas quando Deus adormece
Até uma pluma flutua no ar...

Gilson Froelich

Bom dia e beijos meus! M@ria