A emoção é como um pássaro,
quando se prende já não canta

sábado, 4 de setembro de 2010

A Partida





. A partida (2008), Yojiro Takita
“Daigo, um violoncelista desempregado, descobre sua vocação quando abandona Tóquio com Mika, sua mulher, e vai à cidade e à casa em que viveu sua infância. Um processo lento e surpreendente o converterá em um especialista em nôkan, ritual mortuário japonês que supõe uma recordação do defunto desde o ato de embalsamento. Em sua aprendizagem, vão se cruzando várias histórias de reconciliação dos vivos com os mortos e ele irá, pouco a pouco, abrindo sua própria história a um caminho de pacificação. O filme nos permite contemplar a morte com uma perspectiva diferente.”

Autor do texto:Prof. Peio Sanchez do Dep.do Arcebispado de Barcelona - Espanha


.

2 comentários:

heloasinari disse...

QUE BOM VISITAR SEU BLOG E VER QUE LUNA ALEM DE POETISA, GOSTA DE CINEMA E FALA DE ARTISTAS QUE CONHECI.TAMBÉM GOSTO DE CINEMA. MEU FILME PREDILETO(O FILME DA MINHA VIDA) É "CINEMA PARADISO". qUANDO PEQUENA MORAVA PERTO DE UM CINEMINHA DO PADRE E ASSITI TODOS AQUELES FILMES. BRINCAVA DENTRO DO CINEMA, IA A SALA DE PROJEÇÃO. AMEI SEU ESPAÇO

Amor em Vermelho disse...

Adoro cinema e é sempre bom saber sobre os filmes. Fiquei interessada em assistir "A Partida" que deve ser um belo filme.

Um agradável Blog. Adorei!
Fada do Mar Suave.